Clínica de Atendimento

CLÍNICAS E LABORATÓRIO DE ATENDIMENTO DO DEPARTAMENTO

Clínica de Estomatologia

  • Diagnóstico e tratamento de pacientes com lesões de boca e manifestações orais de doenças sistêmicas.
    Horário: terças, quartas e quintas-feiras (9 às 12 h – 14 h às 17 h)
    Agendar atendimento pelo telefone (3938-2046) ou diretamente na recepção com as secretárias (Ana Rita ou Edna).

Clínica de Radiologia Oral

  • Realização de exames radiográficos intra e extrabucais e tomografia computadorizada de feixe cônico. 
    Horário: Terças, quartas e quintas (de 9 às 12h). 
    Agendar atendimento pelo telefone (3938-2095 ou 3938-2043) ou diretamente na recepção com as secretárias (Leila ou Rosângela)
    Atendimento de urgência/emergência apenas às terças e quintas pela manhã.
    Não há atendimento às segundas e sextas.

Laboratório de Patologia Oral

  • Diagnóstico microscópico de lesões da região oral e maxilofacial para qualquer instituição pública ou privada, SEM CUSTO para o paciente. Os laudos são enviados por e-mail para agilizar o tratamento dos pacientes.

O serviço está à disposição da comunidade odontológica de segunda a sexta-feira (8 às 17 h) através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., do telefone (21) 3938-2087 e do whatsapp (21) 98290-9420.

Desde sua fundação em 1942, o Laboratório de Patologia Oral da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FO-UFRJ) oferece gratuitamente aos cirurgiões-dentistas e seus pacientes, o importante serviço de diagnóstico histopatológico das lesões da região oral e maxilofacial. No período entre as décadas de 60 e 80, especialmente após o curso do Professor William Shafer em 1964, ministrado na FO-UFRJ, o serviço experimentou um aumento no número de amostras analisadas, muito em virtude do intercâmbio estabelecido naquele momento por extraordinária iniciativa dos lendários professores Sylvio Bevilacqua, Hosanna G. dos Santos, José Carlos Borges Teles e Renato Kobler P. L. Sampaio. O legado deixado por eles continua inspirando a geração atual de professores de Patologia Oral da instituição na continuidade deste importante serviço na área de diagnóstico oral (Gráfico 1).

Gráfico 1 – Histórico do número de amostras avaliadas no Laboratório de Patologia Oral da FO-UFRJ nas últimas décadas. De maneira semelhante à década de 70, a atual década mostra um aumento maior que o dobro do número de casos em relação à década anterior.

Durante os últimos anos, o serviço tem se mantido essencial para o estabelecimento do diagnóstico de lesões de boca de um número cada vez maior de pacientes atendidos na Clínica de Estomatologia da FO-UFRJ, no serviço da residência em Cirurgia Bucomaxilofacial Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF-UFRJ) e no ambulatório de Pacientes com a Saúde Comprometida do HUCFF-UFRJ. Amostras de pacientes atendidos nas Redes Municipal e Estadual de Saúde do Rio de Janeiro e de outros Estados como Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo, Roraima e Pará (Gráfico 2) também são recebidas no serviço e atualmente representam mais da metade do número de casos avaliados anualmente.

Gráfico 2 – Histórico do número de amostras avaliadas no Laboratório de Patologia Oral da FO-UFRJ na década atual. Observa-se crescimento exponencial do número de amostras avaliadas até 2019, o qual será impactado pela epidemia COVID-19 em 2020.

Atualmente, o processamento histológico das amostras é realizado pelas técnicas em histopatologia Cristiane Nunes da Silva e Lindaura Cardoso Costa, e as lâminas coradas por hematoxilina e eosina e outras colorações especiais são avaliadas em conjunto por três patologistas orais, Aline Corrêa Abrahão, Bruno Augusto Benevenuto de Andrade e Mário José Romañach (Figura 1). A equipe da Patologia Oral conta ainda com apoio dos médicos patologistas Nathalie Henriques Silva Canedo, Denize D’Azambuja, Cristiane Bedran Milito e José Carlos Morais, das áreas de neuropatologia e hematopatologia do HUCFF-UFRJ para a discussão de diagnósticos desafiadores que requerem análise imuno-histoquímica ou técnicas moleculares. Os laudos histopatológicos são enviados por e-mail com objetivo de agilizar o tratamento dos pacientes e a comunicação dos clínicos com os patologistas orais é facilitada pela troca rápida de informações clínicas, radiográficas e microscópicas para aumentar as chances do estabelecimento do diagnóstico mais apropriado de cada paciente.

Figura 1 – Rotina de diagnóstico do Laboratório de Patologia Oral da FO-UFRJ. Os professores (da esquerda para a direita) Bruno Benevenuto de Andrade, Mário José Romañach e Aline Corrêa Abrahão discutem cada caso para estabelecer o diagnóstico, após correlação clinico-patológica apropriada.

Destaca-se também o papel da equipe deste serviço no rápido fornecimento de laudos com diagnóstico microscópico de diferentes tipos de Câncer de Boca, o qual é estabelecido em cerca de 10% a 15% do número total de amostras avaliadas anualmente. O ano de 2019 teve cerca de 2200 amostras avaliadas e 265 casos de câncer na boca. Durante a pandemia da COVID-19, o Laboratório de Patologia Oral tomou a difícil decisão, com apoio da Congregação da FO-UFRJ, em manter suas atividades em regime de escala. Embora o movimento de amostras tenha diminuído pela metade, o serviço pôde oferecer laudos histopatológicos com diagnósticos de câncer de boca para 55 pacientes e suas famílias no período entre 16 de março e 16 de julho, minimizando os impactos da pandemia no tempo de diagnóstico do câncer de boca.

A equipe do Laboratório de Patologia Oral da FO-UFRJ (Figura 2) agradece o apoio de todos os cirurgiões-dentistas clínicos, estomatologistas e cirurgiões bucomaxilofaciais que confiam neste serviço e têm contribuído na construção de uma relação de confiança e diálogo em benefício dos pacientes. Muitos destes colaboradores têm ajudado o serviço não apenas com o envio de amostras de seus pacientes, mas também com doações de insumos e materiais necessários ao funcionamento diário como reagentes e manutenção dos equipamentos histológicos e microscópios do Laboratório de Patologia Oral da FO-UFRJ. O custo anual do Laboratório é de aproximadamente 50 mil reais para o atual volume aproximado de 2000 amostras por ano e verbas das últimas direções da FO-UFRJ, de agências de fomento à pesquisa e de doações individuais têm possibilitado a continuidade deste serviço de grande impacto social ao longo dos últimos anos, com apoio permanente da Congregação da FO-UFRJ.

O endereço para entrega de amostras em mãos é: Laboratório de Patologia Oral - Faculdade de Odontologia da UFRJ - Rua Prof. Rodolpho Paulo Rocco 325 / 1° andar, Ilha da Cidade Universitária - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 21.941-913. Pode ser entregue de segunda a sexta-feira de 08:00 as 17:00

O endereço para entrega de amostras por correio é: Laboratório de Patologia Oral - Faculdade de Odontologia da UFRJ. Av. Carlos Chagas Filho 373 - Prédio do CCS - Bloco K - 2° andar - Sala 56. Ilha da Cidade Universitária – Rio de Janeiro/RJ - CEP: 21.941-902.

Download: ficha de requisição de exame histopatológico A ficha de requisição de exame histopatológico a ser preenchida e
enviada junto com a amostra pelo cirurgião-dentista está disponível, aqui.

Figura 2 – Laboratório de Patologia Oral localizado no Departamento de Patologia e Diagnóstico Oral, no 1º andar da Faculdade de Odontologia da UFRJ.  A e B – Laboratório de Patologia Oral. (A) Bancada de coloração com Capela de exaustão de gases com bateria de coloração histológica; Bancada de microtomia e processamento com micrótomo, banho-maria e processador automático de tecidos. (B) Bancada de inclusão, com dispensador de parafina e placa aquecida; e área de recepção e registro dos materiais. C e D – Laboratório de Imuno-histoquímica. (C) Pia de lavagem e secagem de material; Bancada de desparafinização, realização das reações e contra-coloração. (D) Bancada de preparo de soluções e recuperação antigênica.